arquivos

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

subscrever feeds

Aviso:qualquer semelhança entre pessoas e/ou relalidades olhanenses pode ser coincidência ou não...

Quarta-feira, 20 de Maio de 2009

MANO JOÃO, SAÍU O EURO MILHÕES AO PRESIDENTE DE OLHÃO!

VIVÓ PRESIDENTE DE OLHÃO

Ainda não estou em mim de tão emocionalmente emocionado, me sinto..
Juro que não contive as lágrimas, quando vi na televisão os dois presidentes de Olhão a saudar a massa associativa do clube de Olhão.
Aquele momento de comunhão de ideais tentre os dois presidentes de Olhão, transmitido para todo o pais, encheu-me o peito de ar e vibrei que nem vibrador ligado à corrente.
Não foi tanto a proeza conseguida pelo clube, mas a forma genuina como saudavam o facto de lhes ter saído a sorte grande, que me sensibilizou.

E tinham e aparentemente têm razões para estarem contentes, não pelo Olhanense, mas por si próprios.

 

Parecem pensar que está o "taxo" assegurado.
E duma forma impressionantemente sagaz,  logo no dia seguinte, estava o presidente de Olhão (o sr. eng.), reunido com o presidente do clube, no meio do relvado (isto é importante…), para analisarem ali mesmo (o local foi fundamental…), tudo o que havia a fazer para que não faltasse nada ao clube, porque segundo diz o sr engenheiro, é isso que a população quer.
E não há qualquer problema em utilizar o dinheiro da Câmara. È isso que a população quer!
È necessária luz artificial? Não há problema, a Câmara paga. È isso que a população quer!
Amplia-se o estádio? Não há problema, a Câmara paga. É isso que a população quer!
È preciso um estádio novo? Não há problema, a Câmara paga. È isso que a população quer!
A Ria está poluída? Não há problema. A população quer é o clube a ganhar!
Não há médicos suficientes? Não há problema. A população quer é bola!
Não há emprego? Não há problema. A população quer é que se gaste dinheiro na bola.
Não há problema que agora o fundamental é satisfazer a população.
Um presidente que ausculta e interpreta duma forma tão precisa o sentir de toda uma população, merece todos os encómios (hem, e esta?).
Até acho que já merece a estátuazinha. Já tem a rua…, ficava bem…
E já agora, se calhar, Olhão merece isto tudo?
Mal recomposto de tanta emoção, termino.
Mas ouvi dizer que o Xico Leal na próxima época vai jogar ao lado do Jalmir, a ponta de lança. E o Ramirez vai para guarda-redes, por se põe bem, em bicos de pés…
E disseram-me que tinham uma secretária para massagista… mas eu não acredito…
Cá fica o abração do
Zé Carlos
sem qualquer censura Zé Carlos às 22:14

link do post | para escreveres o que tens a acrescentar
1 comentário:
De Mano João a 20 de Maio de 2009 às 23:56
Móce Zé Carlos

Ainda bem que regressaste dessas viagens que fazes de vez em quando! Nem sabes das novidades que vão cá pela nossa terra. Uma já sabes tu, a do euromilhões que saiu ao engenheiro! Acertou nos números e nas "estrelas" (as do Olhanense)! Desconfio que o homem não dorme desde domingo. Só chatices, précuras, cartas para a CE, eu sei lá! Já não tinha para onde se virar. E eis senão quando o olhanense sobe de divisão. Pronto! Se calhar nem será preciso fazer eleições: os milhares de adeptos do olhanense, os de cá e os outros espalhados por esse mundo fora, viram claramente visto a emoção do edil e a sua aquiescência(esta até me custou a escrever) em dar a mão ao clube em tudo o que for preciso. Porque Zé Carlos, todos os de Olhão são do Olhanense, tá claro, e os dinheiros públicos, de todos, são dos Olhanenses, que são eles todos, do olhanense! O moço cá de casa diz que é uma permissa lógica (vá lá saber o que isso quer dizer).
Olha, se o novo ou renovado estádio sair à cena, estou certo que albergará instalações rentáveis com serviços de saúde para os adeptos e lojas de artesanato para os visitantes em massa que hão-de vir. Agora é que a nossa terra vai ultrapassar a crise! Às tantas ainda beatificam o engenheiro por bastos milagres relacionados com a multiplicação dos tachos...
As outras novidades prendem-se com a desenvoltura do serviço postal:cartas entregues ao domicílio dão conta da transparência das actividades camarárias e afins e das relações interpessoais que sempre devem haver em locais de trabalho sujeitos a pressões, não sei se altas ou baixas e se estão relacionadas com o anticiclone.
Como vês, amigo, um gajo não pode virar costas por uns momentos e acontecem logo um monte de coisas!

Haja saúde
Mano João

Comentar post